2014/11/30

Dia 2001


Queria conhecer alguém que me oferecesse a pior conversa que eu já tive, mas que fosse bom o bastante para me fazer ficar até o fim. Seria como ter uma boa explicação pra um pisão na espinha, ou uma martelada na costela. Queria conhecer alguém que me fizesse pensar sobre o quão ruim tem sido estar bem, e não conseguir apontar de onde surge a tal tristeza. Queria ter uma péssima companhia, para sentar na ultima mesa de um bar vazio, numa noite de segunda-feira, e compartilhar da insonia, cada sonho que se esvaiu. Queria alguém que escutasse as minhas loucuras, e olhasse nos meus olhos como se estivesse me dizendo que faz sentido. Alguém capaz de brindar a insanidade.

2014/11/26

Dia 2000

(VEJA O VIDEO ACIMA PARA ENTENDER O QUE VEM DEPOIS)

Sempre quando escrevo e faço a publicação, a primeira impressão que eu tenho é que ninguém vai ler. Talvez alguém solitário procurando alguma coisa na internet de madrugada. Talvez até alguém que terminou seu relacionamento tentando preencher o vazio com textos e frases feitas, como se aqui explicasse o ocorrido. Quem sabe explique, não somos tão diferentes. Porque eu também já me senti solitário e me preenchi de vazio, tanto quanto com textos e frases feitas. 
Acho que sempre escrevi o que eu queria que fosse verdade, do jeito que eu imagino. De alguma forma, eu quis me tornar a voz que fica na cabeça das pessoas que leêm. Sabe? A voz do personagem... e até a voz dentro da sua cabeça enquanto você lê isso agora. É, eu sei... Estou falando diretamente com você e agora, somos amigos. Não sei sua cor favorita, nem seu filme predileto mas ja gosto de você. Obrigado por estar aqui. Você acaba de fazer meu sonho se tornar realidade.
Eu já devo ter mencionado que escrevo o tempo todo, em qualquer guardanapo por ai que for. Mas, quando é calmo e me sento tranquilo pra escrever o mais importante que penso para iniciar é a trilha sonora. Elas muitas vezes disseram sobre o que eu deveria escrever.
Na hora que eu decidi sentar para escrever sobre 2000 dias (cara, são 2000 dias!) eu tive que escolher a dedo a trilha sonora. Bom, desvendando o suspense a trilha sonora fica por conta de City and Colour, Bring Me Your Love de 2008. Bem, em 2008 eu não conhecia City and Colour, na verdade só vim a conhecer em 2012/2013. E porque essa banda? Bem, porque essa é a banda dela. Dela, a garota pelo qual eu escrevo. Sabe, tem musicas que a gente determina pra quem vão ser. Ou bandas até. Você olha para a minha cara e diz que Avenged Sevenfold é a minha banda. E se fosse pra escolher uma nacional, seria Los Hermanos. Eu ja conheci gente que era Engenheiros do Hawaii, que era Clarice Falcão, gente que foi RPM mas depois se tornou Ultraje... Conheci gente até que era o próprio Peter Gabriel ou o Bruce Springsteen. E ela, bem, ela é City and Colour.
Se eu fosse dar uma definição pra ela, eu diria que ela é uma mistura das musicas de Jack Johnson com uma boa dose de tequila, limão e sal. Faz todo o sentido pra mim. O fato é que, ela ficou. Ela ficou cara! Sabe, a gente se ancora onde acha que é mais perto de casa. Ás vezes é em um porto, ás vezes é na praia e ás vezes é no coração de alguém mesmo. Então, é nessa parte que eu digo que ela esqueceu de como é viajar por oceanos pra ficar ancorada aqui.
Leia o que direi agora e logo após feche os olhos. Tente imaginar a cena, o aroma, a presença e o som de tudo. É magico onde nossa imaginação pode nos levar. Do céu ao inferno em segundos, nem uma ejaculação precoce é tão rapida. Apenas feche os olhos...
É o alto de uma montanha. Você se lembra da frase que leu no livro de Jack Kerouac quando tinha 13 anos, "Suba aquela maldita montanha". É a imensidão do horizonte, as cores e tonalidades de azul se fundindo com as cores do por do sol que chamam sua atenção. Há verde por toda volta e pedras nem tão cinzas mas também não tão brancas ao redor. Você ouve o vento, como se o mundo todo ficasse quieto pela primeira vez. As árvores balançam, a brisa bate e ai você faz uma retrospectiva. Do ultimo dia, da ultima semana, do ultimo ano. Da sua vida toda. E são todas as fotografias da memória passando na sua mente agora. Você se sente o dono do mundo ali naquele alto, embora ninguém esteja te observando. Como se houvesse a possibilidade de você voar.
Bom, agora imagino que você já abriu os olhos. Abriu? Pois entao, na verdade eu não estou no alto da montanha. Estou sentado no meu quarto, ouvindo o som do meu ventilador e sem camisa com a janela aberta. São 2:31 da madrugada de uma terça-feira gorda. Mas queria que vocês entendessem como eu me sinto quando ela aparece. Me sinto no alto da montanha, como se pudesse voar. É o que eu sempre digo, você jamais pode dar asas á alguém se não pode voar junto com ela.
Eu sou complicado, querendo ser simples. Sou fraco quando me mostro forte. E ela entende bem dessas coisas. Ás vezes é confuso porque ela é assim também. Cada um tem que entender sua própria confusão pra ajudar um ao outro. 
Minha vida não era ruim, mas tenho que dizer que ficou bem melhor depois que ela apareceu.
Sabe aquela parte que eu disse, de envelhecer sentado na varanda da casa na praia, etc e tal? Quem sabe se ela me aguentar até lá.

video




A palavra "amor" anda vazia. Não tem gente dentro dela. Não visualize amor em outra pessoa. A pessoa apenas vem para materializar o amor (se é que ele é materializavel)em um gesto, em um bombom, em uma rosa, em um beijo e abraço. De tarde, já é tarde. Seja o bom-dia dela rapaz!
Estou ficando velho, na verdade eu sempre fui velho. De 92 mas com paciência de quem nasceu em 50. E atitudes também. Sei o valor de andar de mãos dadas na rua. De não deixar ela na ponta da calçada, afinal é minha garota e ela não esta a venda. De abrir portas e fechar portas. Enfim... Isso não interessa.
O que interessa mesmo é se tudo esta valendo a pena, e pra você... Esta? Tudo isso é a continuidade dos dias e o que anda realmente sendo importante. Então, eu sei o que é importante pra mim e o que vale a minha vida e mostra aqui todo dia... E você?
Aproveite a vida, estou sempre aqui.
Bom dia! Boa tarde! E boa noite!



2014/11/16

Dia 1999


Tinha uma coisa legal em fazer amor com ela. Alias, uma não. Várias. 
Era brutal mas ao mesmo tempo era bonito e suave. Era forte mas ao mesmo tempo tinha sentimento. Era gostoso e ao mesmo tempo sereno. Tinha um romance ali sabe? Não importava se era sábado ou terça-feira, ela sempre me olhava do mesmo jeito. Eu podia ter o dia mais fodido no trabalho e ela ter se irritado no trânsito por terem quebrado o retrovisor, tudo acaba ali. Não eram apenas dois corpos se chocando, eram universos inteiros. Não era só tesão, era amor mesmo. Não sei se vocês compreendem o que eu realmente quero dizer. Mas era fantástico, mágico.
Não da pra preencher o vazio com qualquer um entende? Você vai ao cinema com qualquer um, você toma um café com qualquer um mas tem certas coisas que você para, pensa e identifica "isso é só com ela". Afinal, era só ela que conseguia quebrar meu espirito e moldar na paz que ninguém mais conseguia me dar.
"Seu corpo nu só deve pertencer a quem se apaixonar por sua alma nua.” C. Chaplin. Chaplin amigo, você disse tudo que eu queria dizer e não consegui. Acho que não tem nada mais bonito nesse mundo do que as pessoas que te decifram de dentro pra fora. Daquelas que, diante de uma parede cheia de detalhes ela sabe pra qual exatamente você esta olhando. E pessoalmente, pra alguém como eu isso é realmente muito importante. Os detalhes. Eu vivo deles sabe? Se não há detalhes, não tem graça. Porque eu acho que a vida é feita dos pequenos detalhes que a maioria deixa passar. Pessoas que veem os mesmos detalhes que eu, me apaixono fácil pelos olhos. Pessoas que não deixam a imaginação levar não me interessam, pois elas só enxergam o que esta diante delas. Gosto de pessoas que me dão mundos para pensar que não seja o meu. Principalmente um que não seja o meu.

Dia 1998

Eu queria dizer que desejava beijar aquela boca todos os dias até o fim. Mas eu não disse. São coisas que eu nunca digo.

Dia 1997

Eles irão pegar a gente se beijando na escada rolante do shopping Amor, vão querer fazer igualzinho.

2014/11/15

Dia 1996

Faça um pedido e guarde no seu coração. Qualquer coisa que você quiser, tudo o que você quiser. Fez? Ótimo. Agora acredite que pode se tornar realidade. Você nunca sabe de onde virá o próximo milagre. A próxima memória. O próximo sorriso, o próximo desejo que se tornará realidade. Mas se acreditar que está logo adiante e abrir seu coração e mente para a possibilidade, para a certeza, pode ser que consiga o que queira. O mundo está cheio de mágica. É só acreditar nela. Então, faça um pedido. Fez? Ótimo. Agora acredite nele. Com todo o seu coração.

Dia 1995

Mulheres encontram um carinha legal e boa pinta em uma noite e na mesma noite vão pra cama com ele. "Isso esta certo?" ela pergunta. "É só carinho, que mal há em dar carinho?". E ela aceita isso. Sem compromisso. Sem introdução de história ou passada rápida pelo indice da alma. "Apenas carinho" segundo ele. É só uma foda barata sem troca de telefones. E ela aceita isso. Cara, ela aceita.
O que eu deveria dizer? Parece tudo errado demais. Parece que tudo que eu encosto quebra e queima. Já perdi as contas de quantas pessoas magoei. Quantos corações eu quebrei e continuo quebrando. Acho... acho que é nessas horas que a gente vê a escuridão entre as brechas. E ai vem aquela coisa que eu não sei o nome, te abraçando como se fosse um cobertor no inverno. A dor acompanha a saudade e isso te pega feito doença.
Sei la, se afundar na minha cama parece uma boa hoje. Ouvir a completa imensidão do silêncio das paredes do meu quarto me parece a melhor trilha sonora. Depois de tantos bares, tantas companhias, tantas conversas, tantas localidades, marcações aqui e ali, tantos drinks e contas divididas. Depois de tudo tão frenético, a calmaria me chama atenção. Me chamem de velho, não ligo de ter quase 23 e reclamar como se já tivesse 80 e tantos. Augusto Cury disse uma vez "Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; Quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável." Então eu te pergunto qual é a sua solidão? Sim, qual é sua solidão?
As pessoas estão sempre perguntando como você quer o café, cpf na nota? Mas nunca perguntam qual é sua solidão. De que adianta tantos verem o que fazemos, se na hora da companhia você esta completamente solitário? Não digo companhia de uma cervejada ou de um passeio no parque, mas companhia no silêncio. As pessoas não se bastam mais, estão sempre procurando algo pra fazer. Ninguém hoje em dia faz mais companhia pro silêncio.

Sabe que, uma vez eu conheci uma garota e o silêncio dela era lindo. Perfeito. Me dizia tudo. Combinava com o meu. Na verdade, o meu conselho é que se você vai se apaixonar por uma pessoa primeiro você precisa se apaixonar pelo silêncio dela. Talvez não se apaixonar, mas pelo menos entender. As pessoas esqueceram de entender e querer compreender o silêncio do outro. Creio que esse seja o maior problema dos relacionamentos no século XXI.
Seria agradável pra mim dizer isso e fingir que sou um cara durão, mas eu não sou tão durão assim. Gosto de quem procura meu silêncio sabe? Afinal, nunca vivi um romance de novela, nem tive um amor a primeira vista e muito menos sequer, recebi alguma loucura de amor. Talvez eu não seja apaixonável. Acho tão bonito esses relacionamentos instáveis, de pessoas que se odeiam e se amam minutos depois. Brigam um dia, e se perdoam no outro, e depois se odeiam outra vez. Vão embora sabendo pra onde irão voltar. Acho importante a briga. As vezes brigamos por coisas tão banais, ficamos sem nos falar, sem nos ver e pensamos que um ao outro não fosse uma coisa boa e de repente, nas brigas ficávamos cegos e não conseguimos enxergar o quanto eramos importante um para o outro, o mais irônico é que sem notarmos estamos lá nós de novo juntos novamente, rindo, chorando, brincando e a nossa amizade novamente era restaurada com um período pequeno de tempo. É e la estávamos nós dois novamente a brigar (risos), mas a vida é assim, brigas são necessárias para que possamos perceber o quão importante somos um para o outro e o quão dependente conseguimos ser enquanto estamos separados, o que importa que sem nenhum esforço, a amizade cuida de nos unir novamente. E da amizade pra companhia e pra ela, a minha solidão e de brinde o meu silêncio, você quer?

2014/11/13

Dia 1994

Sobre aquela discussão de ontem, fique você sabendo que algumas lágrimas desceram meu rosto sim, mas vieram seguidas de um sorriso bobo, sabe porque? Porque eu sei que hoje, quando você acordar, tudo vai estar mais calmo e depois vamos rir disso tudo e dizer mais uma vez como de costume: "eu te amo".

Dia 1993

Uma palavra pode estragar um dia, transformar qualquer alegria em algo ruim. Um comentário pode destruir uma pessoa. Sempre alguém pode arruinar um sentimento… É sempre assim, pessoas jogam palavras ao ar, como se para sempre elas fossem plainar, sem saber a catástrofe que pode causar, quando o céu não mais as conseguir segurar. Palavras falam da vida real, as vezes usadas para o bem outrora para o mal, alguns usam palavras para amar, eu uso apenas quando preciso desabafar, aquele pedaço de folha de papel, que como um réu é deixado a morrer, então, com algo que escreva na mão percorro uma multidão… Uma multidão de pensamentos, pedidos e lamentos bons e ruins, alguns não se sabem seus fins. Olhando a luz do luar, pois só escrevo antes de embernar, para estar disposto para no outro dia acordar, após confuso ficar, as vezes até chorar, depois de desabafar, tento me acalmar, por que depois dessa noite, mais um dia vira.
Porque assim que escrevo, consigo dormir. Sempre nessa ordem.

Dia 1992

Sabe quando você compara seu choro a chuva, então, essa menina era inigual. Ela não chovia ela nevava.

2014/11/10

Dia 1991

Ela tinha uma vibe boa, uma maldade rara nos olhos. Era cheia de intenção e eu tentava me controlar mas ela era linda, linda demais. Se valorizava mas ela sabia que eu não conseguia dizer não. Um passo e não estamos mais no mesmo lugar. Ela me dizia que tinha medo e eu dizia que as pessoas deveriam libertar o coração e essas coisas. Sabe? Essas coisas que nem notam mais. Amor é como um canhão na boca de quem tem o poder de usá-lo.
E ai, alguma hora sem hora marcada a gente encontra o caminho de casa. E se sente em casa. É aquela paz de uma segunda-feira a noite acompanhado na hora de um banho compartilhado. Dois no espaço de um. E qualquer escorregão ela ria. Queria secar meu rosto e minha barba volumosa mas só cobria tudo deixando apenas a boca, pra me beijar no escuro. Ser aquela coisa bonita que vemos na televisão. Isso da trabalho, na verdade da um trabalho danado. 
Sabe como é? Beijar os lábios dela mas com cuidado como se ela fosse "quebrável". Eu levantava ela no meu ombro e a carregava rindo pela casa até o quarto. Ali se tornava um precipício onde nós dois caiamos de uma altura de cem andares. 
Quando estamos andando na rua e sem eu pedir ela segura a minha mão, eu tenho vontade de dizer "não solta não".

Dia 1990

Ela o pôs para fora como se joga um cigarro fora à meia-noite. Ela quebrou seu coração, ele passou a vida inteira tentando esquecer. Nós o assistimos beber até o fim de sua dor, um pouco de cada vez. Mas ele nunca conseguiu beber o bastante para tirá-la de sua cabeça. Até a noite. Ele mirou a "garrafa" em sua cabeça e puxou o gatilho. E finalmente bebeu até esquecê-la. A vida é curta, mas pareceu maior naquele momento.


Dia 1989


Eu perguntei á Deus ó Pai porque? Então recebi apenas o silêncio como parceria. Desde então eu abracei a solidão e o desamor. Eu e meu exército armado nas barreiras de sentimentos, deixo aflorar a raiva e ira somente. Então por Deus ó Pai, onde esta o amor? 

Eu só queria ter uma vida normal, ser um adolescente cheio de sonhos e não encher minha alma com tamanha fúria. Isso aperta o coração é tudo que sei. E tenho vivido toda minha vida assim. Então por Deus ó Pai, porque permanecemos tão cegos diante das linhas tortas que percorremos? 
Eu senti vontade de destruir algo belo e tudo que sonho, são as faixas do km72
. Mas eu também sou mais um que espero pelo paraíso e ao invés disso eu explodo em ódio.
A vida não me abraçou na jornada dizendo que iria ficar tudo bem. Tudo que eu via era a fumaça de mais um dia. A TV vende o sonho americano enquanto eu penso um grande "dane-se" para o que somente eu vejo. Um caminho longo e árduo tem sido essa travessia. Enquanto caminho pelo vale da sombra da morte dou uma olhada na minha vida e percebo que não sobrou nada.
Tenho 23 anos agora, será que viverei até os 24? Do jeito que as coisas vão, sei lá. Me diga, por que somos cegos demais para perceber que aqueles que magoamos somos você e eu?
Então eu pergunto á Deus ó Pai, porque?

2014/11/07

Dia 1988

O que eu deveria dizer? Digo, e se eu fosse embora pra sempre hoje qual seria a ultima palavra dita? Eu li um livro algum tempo atrás chamado "Quem é você Alaska?" e la, o personagem principal que tinha o apelido de 'Gordo' era colecionador de ultimas palavras de pessoas famosas. J.F.K, John Lennon, ele sabia as ultimas palavras de todos eles. Ás vezes fico pensando qual seriam as minhas. Algo muito estupido eu acho. Ou algo que não esperaria o fim. Acho que a gente nunca espera o fim.
A primeira coisa que um depressivo diz é "eu não estou depressivo", então eu não estou depressivo. Eu acho que perdi o dom. A caneta pesa uma tonelada e a tinta parece que sai direto das minhas veias. Faz tanto tempo que não escrevo que nem sei mais sobre o que eu deveria dizer. Eu queria dizer algo romântico e inspirador aos corações recém aflorados e aos recém machucados também. Mas não tenho nada agora, me desculpem. Já faz algumas semanas que ando afundando pra dentro de mim tentando encontrar o melhor mas não acho nada.
Mas de alguma forma, algum dia eu vou ter que enfrentar... Sabe, estou olhando para cima um mundo que não posso abraçar. O paraíso parece um infinito distante agora. Está tudo tão errado mas ninguém quer a culpa. Mas quem sou eu, quem sou eu para dizer? Chega até a ser engraçado sabe? Você é forte o tempo todo, por você e por todo mundo mas chega uma hora que isso acaba. Eu só queria ser um rockstar, beber pra valer e não me importar tanto assim. Mas eu me importo, eu me importo pra caralho. Vai ver é esse meu problema. Deveria me importar menos. 
Um dia sua vida será um flash diante de seus olhos, certifique-se de valer à pena assistir. Diga sua própria verdade, mesmo se sua voz tremer, mesmo que pareça errado. Ouça o vento, abrace a solidão. Na tristeza você se conhece mais do que qualquer um, porque é apenas você. Sem intervenções ou reticências. É só aquilo, ali, na hora. Sem mais.
Lembre-se dos seus pais. Faça um video sorrindo pra que todos se lembrem disso, de sorrir. Veja o pôr ou o nascer do sol ao menos uma vez. Gaste seu dinheiro guardado em algo excepcional, mas não dê tanto valor afinal é só papel sujo. Viaje, viaje muito. E por fim, suba aquela maldita montanha. 

Dia 1987

Eu tropecei e cai dentro dela, foi um descuido, talvez falta de amor-próprio, uma desatenção. Fico repetindo pra mim mesmo porque não dei ouvidos aos meus instintos. Sou um pouco assim, meio mistico quando se trata da entrega, da coragem que é preciso para amar. Eu rodava por uma highway desconhecida e me embriagava com a trilha sonora do Pink Floyd. Esticava o braço pra fora da janela com vontade de voar. Maldita pretensão. Seguia sem saber que o amor que me movia era o mesmo que te prendia ao chão. 
Eu quase morri. Amor, eu quase morri. Foi um quase muito grande. Deveria ser proibido se jogar no abismo que é amar, e não ter ninguém para lhe colocar asas. Mas apesar de todos os apesares, de todas as suas esquisitices, da secretária eletrônica falando que você não estava, da porta batendo na minha cara e só ficando os ecos dos teus passos pela escada, eu to aqui! Porque foi só um quase, amor. E um quase não mata.

Dia 1986

E aqui estamos nós de novo, distantes, fadados apenas a cultivar lembranças. É aqui estamos nós de novo, sentindo falta um do outro mas o orgulho nunca vai nos deixar admitir que a gente devia ficar junto. Tipo, junto mesmo. Juntinho.

2014/11/04

Dia 1985

Acho que foi naquela hora. É, foi naquela hora mesmo que eu não podia dizer que eu estava completamente apaixonado por ela. Pelos desenhos na pele dela e principalmente quando ela veio daquele jeito falando do que tinha acabado de fazer. Pelo cabelo meio claro, meio escuro que ela tinha. Por ela ficar sem graça e me chamar de besta á cada coisa maliciosa que eu dizia tentando fazer com que me mostrasse seu lado mais secreto. 
Com ela aprendi que gostar de alguém é como dar um tiro no escuro que você não sabe ao certo se vai acertar ou não. Mas só ela pra aguentar minhas idas e vindas. Quando eu sumia, queria dizer pra ela como eu sentia falta. Mas eu nunca dizia. Eu sempre fazia isso, permanecia sem aparecer e quando aparecia sempre a fazia ficar confusa. Gosto dessa confusão dela, mantinha ela perto. Mas era arriscado entende? Ela podia sumir também.
Uma coisa que eu sei com certeza dela, é que ela vive querendo aparecer aqui nas minhas linhas. Ela adora se encontrar por aqui porque sabe que aqui é o meu mais intimo dito, escrito, confessado e de coração.
Bom, acho que nesse ponto da história eu nem preciso chegar nela pra dizer que todas essas linhas são pra ela e porque queria falar: Eu sinto sua falta. 
Porque sei que você se pergunta ás vezes se eu penso em você, se sinto sua falta realmente. Se lembro dos nossos momentos juntos frente ás câmeras da vida. Essas coisas. Viu como as coisas mudam? Alguns minutos atrás eu estava falando pra centenas de pessoas e agora todas elas sumiram e eu estou falando apenas com você. Diretamente com você. Porque você sabe exatamente nesse ponto que tudo isso é pra você. E eu acho que mencionei "você" umas vinte vezes nessas linhas. Vão me achar um chato por isso e a culpa é toda sua. Mas eu nem ligo.
Eu não falo tantos "eu te amo" quanto ela gostaria. Eu não a levo em tantas viagens pelas praias da costa como ela ás vezes quis. Eu não virei tantas páginas assim como ela ás vezes precisou de mim. Mas eu tenho certeza que nunca, ninguém teve um sentimento como o meu por ela assim. E eu largaria tudo agora se ela me dissesse que casaríamos no domingo.