2010/04/16

Dia 294

Eu digo que não posso me transformar, pois tudo e qualquer coisa criada foi criada com um propósito fundamental, do qual não é e não pode ser alterado. Por que se eu me transformar, vai junto a minha essencia e eu deixo de ser eu.
Ás vezes eu paro e penso que nada faz sentido nesse cacete chamado vida. Mas por outro lado, eu penso em como é bom viver. Sentir o cheiro da chuva, Sentir o vento na janela do ônibus. Sentir aquilo estranho, meio incomum... Daquilo que confunde, que permite diferentes interpretações, que fica pendente... Aguçando a curiosidade, provocando. Tomar banho frio e beber café quente. Correr no parque, cantar um rock... Saber que o momento mais forte do amor, é quando sabemos que ele precisa morrer, mas não temos força para matá-lo. E assim continuar a viver, mesmo que nas interfaces da vida apareça situações adversas. Mas você pode ter certeza, que sem você, minha alegria fica triste. Fica sem vida. Fica tudo tão normal.

9 comentários:

Ligia disse...

Tirando o palavrão, o texto tá lindo!*-*
Pra mim tbm, sem vc minha alegria fica triste...tudo fica tão normal...e não tem ngm pra me fazer rir das coisas mais bobas no metrô, na rua, no nosso cantinho...
Eu Te Amo!♥

tamires disse...

perfeitoooo *-*
mto lindo

Willians disse...

Todos precisam permitir as transformações que a vida nos faz passar. Tudo, claro, sem perder nossa essência.

Bruna Zumbia disse...

ah semana passada tava bem frio e eu voltando do tecnico fiquei desenhando no vidro do onibus *-*
também durmi abraçadinha com o meu amor *-*
sao coisas que realmentes são importantes pra gente,mas que as pessoas não entendem :)

beijos

Luu disse...

você pode mudr e continuar apreciando a chuva,
rsrsrsrsrsrsr
gostei do texto
a subjetividade humana é mesmo muito complexa
;

Fernanda Maria disse...

Muito bonito...parece até comigo...legal o blog,diferente,simples e de bomc onteudo,curti

Lelê Mafalda disse...

A graça da vida aparece quando permitimos que ela não seja estática, e assim vamos indo e sendo como a vida exige. O importante é naõ se perder em tantas transformações.

Bikelando disse...

Tem uma frase do seu artigo que vai ficar comigo: "...o momento mais forte do amor, é quando sabemos que ele precisa morrer, mas não temos força para matá-lo." Quanta verdade há nisso! E é muito triste quando percebemos que chegou a hora de matar o amor, espero que pra vocês dois essa hora não chegue e o amor perdure.

Ligia disse...

"Bikelando", se as coisas continuarem assim, nosso amor perdurará!*-*

rs ^^