2015/07/06

Dia 2117

Eu queria começar dizendo que, eu não sei por onde começar. O que eu posso falar afinal? Eu gosto dela. Enfim, eu gosto dela. Gostei desde o principio. Me apaixonei então... É isso! E começou mais ou menos assim...
Fiquei sem graça, estava despreparado. Realmente não esperava visita nenhuma em uma segunda-feira. Eu ficava vendo-a de longe, com alguns clicks. Por um tempo ela sumiu da internet e o que eu deveria fazer? Peguei o número dela com alguém próximo e ainda me perguntava se deveria. Mas é claro que eu deveria. Demorei alguns meses até finalmente parar de clicar na foto dela abrindo e fechando sem dizer nada e digitar algo. Porque geralmente é assim que os caras fazem. Chamam a garota pela primeira vez, mostram interesse e depois vem uma sequência de papinhos vazios e chatos. De vez em quando um "bom dia" meio tonto ainda até que cada um decide não falar mais nada com o outro. E não era nada disso que eu queria, eu queria falar com ela todo dia, dar bom dia toda manhã sabe? Queria ser as primeiras mensagens quando ela acordasse sempre dizendo algo sei lá, engraçado pra ela começar o dia bem. 
E ai, chamei ela pra sair. Cara, eu chamei ela pra sair! Ela aceitou! Cara, ela aceitou! Ferrou, como é que eu chamei uma garota como ela pra sair e estou com a CNH vencida porque não me preocupei todo esse tempo em ver isso? E pior ainda, que não tenho um carro! Como dizer isso pra ela sem parecer um imbecil? A resposta é simples: não tem como explicar sem parecer um imbecil. Mas eu tinha que falar, já pensou se ela vira pra mim e fala "que horas você me pega?". Disse qual era a situação e marquei de me encontrar com ela no lugar. Era um barzinho legal, nada muito movimentado afinal eu queria ouvir ela falar e não usar do artificio do barulho pra chegar mais perto e beija-la. Esse truque é velho demais.
19:30hs de um sábado paulistano. Ela não chegou ás 19:30hs enquanto eu estava lá desde ás 18:42hs. "Não repara no atraso, só estou estacionando o carro mas eu já cheguei" ela me mandou no celular. Sabe aquelas horas que o batimento cardíaco vai lá no alto? Então... Fazia tempo que eu não me sentia ansioso assim, sabe? Fazia tempo que eu não me sentia tão bem. 
Quando ela chegou, eu beijei o rosto e a abracei. Geralmente eu abraço todo mundo mas com ela o abraço demorou mais. Ela tinha um cheiro bom. Eu reparei nos detalhes dela, a roupa, o cabelo... Tentei não ficar secando a garota mas ela é linda demais. A garota da foto cara, ela esta na minha frente! "Não seja um idiota" - pensei. 
Dei passagem pra ela, ela entrou primeiro e sentamos logo. Perguntei se ela queria algo, ela disse que uma água apenas. Eu pedi licença e fui buscar e uma Corona pra mim. Mudei de ideia no caminho. Fiquei sem saber o que pedir, fiquei indeciso. Olha que idiota, me senti meio adolescente ali. Acabei pedindo duas águas e uma batida suave com gelo e limão. Mas na volta, cara... Não sei o que dizer. Tinha um cara sentado na minha cadeira em frente ela. Ela olhou pro bar, meio perdida mas eu já sabia o que era. Fiquei um pouco ali, pra não dar uma de machão e estragar tudo com ela. Estava rezando pra que o cara se tocasse e fosse embora. Mas ele era do tipo chato, que acha que as mulheres estão se fazendo de difícil. Ele não me viu entrar com ela? Não me viu sentado ali? E os olhos dela, os mesmos olhos que invadi á uns 10 minutos atrás quando ela chegou... Esses olhos olhavam pro bar. Foi então que tive que ir até lá.
Ao chegar do lado da mesa, coloquei o que trouxe em cima da mesa e perguntei se tinha perdido alguma coisa. Não intimidando ela, porque sabia que ela não tinha culpa de ser tão bonita e chamar atenção assim. Ele olhou pra mim e continuou "Então linda, como eu ia dizendo..." Tentei ser educado, pedi licença e que fosse embora. Esse babaca realmente não me viu entrar com ela? 
As mãos dela estavam em cima da mesa e ele segurou, ela puxou de volta e disse "Não!". 
- Ela disse "Não!" cara, vai embora - e apontei a direção da porta. Ele levantou, eu tenho 1,70 e poucos de altura, ele deveria ter uns 1,80 e poucos. Juro que não queria estragar as coisas, mas ninguém toca na minha garota. Fechei a mão bem forte e tenho que dizer, foi um soco bem bonito. Ele caiu meio tonto sem saber ainda que tinha levado uma bonita direita. Ela abriu os olhos e me olhou com receio. Os seguranças logo vieram, colocaram ele pra fora. Pediram até desculpas pelo inconveniente, acho que o babaca já devia ser conhecido lá. Eu mesmo pedi desculpas pra ela, estava meio chateado achando que estraguei tudo... Mas logo conversamos mais. 
Segurei a mão dela e ela não puxou de volta. Na verdade ela fechou a mão dela na minha, como um carinho. Eu me sentia estranho... Eu me sentia especial. Quantas pessoas fazem você se sentir assim afinal? Pra ser sincero, eu tive medo dela me achar um idiota, infantil ou qualquer coisa que não fizesse ela voltar a falar comigo. Meu medo, era de no dia seguinte ela responder rusticamente uma mensagem e eu saber ali que começaria todo o processo de afastamento. Só que isso não parecia que ia acontecer. A gente passa a vida toda perdido. A procura de alguém, que nos encontre. E parece que chegou esse momento.
Conversa vai e vem, ela toma a liberdade de entrar em assuntos peculiares como "E você moço, o que tem medo?". Cara, o que ela quer ouvir de mim agora? "Acho que tenho medo que essa noite acabe." Droga, resposta idiota. "Se você tem medo que a noite acabe, porque veio?". Ela é boa nisso... "Porque enfrento meus medos sempre pra aproveitar o que vem depois". Acho que escapei dessa. "E o que vem depois?". É agora...

Eu peguei a mão dela e disse: Fecha os olhos agora. E ela fechou. Ela sabia o que vinha depois, eu sabia o que vinha depois. O depois cara, é a coisa mais incrível desse mundo.
Ela é minha paixão antiga de meses atrás onde o tempo nunca passou. Ela é o meu depois e meu depois é muito bonito. Ela é a imagem de tudo isso acontecendo sempre quando me deito pra dormir no fim do dia. E eu imaginei isso umas mil vezes só na última semana.
Obrigado e boa noite. Espero que esteja acordada pra ver eu falar de você agora. 

Um comentário:

Riley disse...

Que texto lindo!!! S2