2017/04/10

Dia 2369

Esses dias eu vi uma postagem no facebook de uma garota que conheci anos atrás. Pouco conversamos mas sempre acompanho as postagens nas redes sociais. Lá ela faz uma citação sobre mudanças, sobre evolução e amadurecimento e principalmente sobre deixar algumas coisas para trás. "Vai ter textão na timeline sim!". Pelo que ela diz ali, vai revolucionar a vida dela. Espero que não raspe a cabeça e saia por ai gritando "Fora Temer" ou algo do tipo. Mas tudo que foi escrito lá me fez pensar e bastante.
É difícil deixar coisas para trás, principalmente lembranças. As danadas volta e meia retornam sejam por qualquer motivo. Ás vezes até quando estamos dormindo, parece que não temos controle. Bom, para cada lembrança ruim devemos criar duas lembranças boas. Essa proporcionalidade ajuda a esquecermos (ou quase isso) aquilo que um dia nos machucou. Mais ou menos estou dizendo para seguirmos com a vida do melhor jeito que conseguirmos para criar novas lembranças, recentes e cheias de esperança para a felicidade. Aos poucos, a raiva passa, a magoa e tristeza também. Algumas vezes o perdão aparece, outras apenas a apatia prevalece.
Pessoas como eu são colecionadoras de lembranças. Memórias guardadas tão fundas que quase são esquecidas. Mas nunca são. Vamos sempre lembrar de toda a felicidade causada, assim como toda a mágoa também. Pessoas como eu tem ressentimentos antigos guardados no silêncio, ninguém sabe e não temos coragem de compartilhar. Afinal quase ninguém entenderia se nos pronunciássemos porque tal coisa fica rodando na nossa cabeça. Não queremos mas "É a vida" dizemos. As pessoas ficam pensando que esquecemos as histórias, mas não. Somos acumuladores de ideias, criadores de rancor e felicidade ao mesmo tempo. É uma confusão que só Deus entende. Já tentei me explicar para uma ou duas pessoas, não deu muito certo então desisti.
Alguém entra na sua vida, rouba seu tempo, destrói sua confiança, agride sua autoestima, estilhaça o pouco que resta da sua esperança no amor. E sai ileso. Não adianta desperdiçar sofrimento por quem não merece. É como escrever poemas em papel higiênico e limpar o cu com os sentimentos mais nobres. Apenas não funciona. Nos encontramos com alguém tentando fazer parte dessa pessoa e querendo, desejando do fundo do coração que essa pessoa faça parte de nós em retorno. O problema é que na maioria das vezes as pessoas estão preocupadas com outras coisas, com a cabeça em outro lugar...
Mas voltando ao que a minha amiga escreveu, o principal assunto que ficou martelando na minha cabeça é sobre acordar para a vida. Tomar uma decisão certeira e com a certeza de que é aquilo que tem que ser feito. Igual ela fala. Sair da zona de conforto finalmente. A maioria das vezes sempre falamos 'sim' para todas as pessoas e quando dizemos 'não' a história muda. Você já não é mais um bom parceiro. Você não é mais um bom profissional. Você já não é mais um bom amigo. Você já não serve mais tanto quanto antes. Pouco a pouco as pessoas vão roubando de você aquilo que mais brilhava. Que mundo injusto esse que vivemos!
Sobre mudanças, fui obrigado a me renovar mais de uma vez para não acabar morrendo de dentro para fora. Pareço um extremista falando mas ninguém sabe o que tem aqui dentro, nunca ninguém sabe totalmente a nossa dor e nossa felicidade como elas são realmente e como a encaramos. Uma em um milhão consegue olhar para gente e saber que precisamos de silêncio ou de um abraço. Quase sempre consegui ser essa uma pessoa em um milhão para quem estava do meu lado. É o que sempre me deixou feliz... Estar lá de corpo e alma quando alguém mais precisasse. Mas a maioria só tem a si mesmo então lhe desejo forças para continuar. Se cair, levante! Se cair, levante! Você ainda é uma criança aprendendo a andar de bicicleta nas lições da vida e isso não vai te vencer. Você é maior que qualquer coisa.
Para finalizar, em algum lugar eu li que a vida é um saco de batatas. Batatas! Disso vem a historia onde um professor pediu aos alunos que levassem batatas e uma bolsa plástica para a aula. Pediu então, que separassem uma batata para cada pessoa de quem sentiam mágoas e as colocassem dentro da bolsa. Algumas bolsas ficaram muito pesadas e, durante uma semana, eles teriam que carregá-las assim mesmo, o tempo todo. Naturalmente, as batatas foram se deteriorando com o tempo. O incômodo de carregar a bolsa mostrava-lhes o tamanho do peso espiritual causado pela mágoa.
Além disso, por terem que colocar a atenção na bolsa para não esquecê-la em nenhum lugar, os alunos deixavam de reparar em outras coisas importantes. Este é o preço que se paga para manter a dor e a negatividade. Quando damos importância aos problemas, ficamos cheios de mágoa e raiva. Perdoar é deixar os maus sentimentos irem embora, é a única forma de trazer de volta a paz e a calma. Portanto... Jogue fora suas batatas.

Já sobre a vida, para essa vamos aprender a tomar decisões melhores que as de antes. Isso é preciso. Vamos renovar, tomar decisões que nos façam sentir novos de novo. E como minha amiga citou: "Que tal um novo emprego? Uma nova profissão? Um corte de cabelo arrojado, diferente? Um novo curso, ou aquele velho desejo de apender a pintar, desenhar, dominar o computador, ou qualquer outra coisa? Olha quanto desafio. Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando."
Namaste

Um comentário:

Helena G.S.R disse...

Realmente, quanto maiores as mágoas, maior é o estrago dentro de nós. Privilégio seria esquecer ou, ao menos, a capacidade de ignorar.