2010/03/24

Dia 283

Há pessoas que já estão mortas e nem sabem. Corpos vazios vagando por ai, atormentados. Os mendigos loucos que falam sozinhos e brigam com as árvores e aquelas patricinhas que compram de tudo tentando preencher aquele oco de dentro. São iguais, diferentes porém iguais. Mortos-vivos andando por ai, sem rumo, sem direção e sem sentido.
Não tem diferença se você tem dinheiro suficiente para comprar um shopping inteiro ou se você não tem um puto pro cafezinho. Se você esta morto, esta morto e isso não é discutível. Por que nossa essência, nosso interior é igual e absoluto. Ele não muda por você ter ou não dinheiro. Não muda se você tem ou não um carro ou um óculos caro ou até mesmo um relógio de marca. A nossa essência não é palpável e nem descritível. Ela é como o vento, exatamente e dura menos que um suspiro. Do contrário, por que acha que com um disparo de uma arma nossa essência foge daquele lugar?! Ela é tudo que temos e vai ser a única coisa que ainda vale a pena se ter. A única coisa que vale lutar para alimentar, para cuidar, para progredir...
Acho que tudo é um erro. Acho que tudo até este ponto não passa daquela velha ilusão. Acho que tudo esta mudado, nada é como era antes, nada é como agente gostaria que fosse. Mas, acho também, que todos somos culpados. É tudo muito bom, muito ótimo no começo de tudo... Depois que passa um tempo, nós vemos como todos são, como as coisas acontecem realmente. No começo, nós não sabemos de nada. Podia ser tudo diferente, como agente sonha, como agente quer...

3 comentários:

eu quero ser você. disse...

eu acho que minha essência é normal.
sou vermelho e cinza.

Éris #)~ disse...

Resistente como diamante e delicada como caco de vidro... Pobrezinha da nossa essência nesse mundo cão.

Alexandre Terra disse...

otimo texto, ha pessoas q ja estao mortas e nem sabem disso..........como ja dizia o Charles Chaplin: o homem deixa de viver quando deixa de amar