2011/06/18

Dia 596

Hoje, uma mulher apanha. Amanhã, uma criança é morta. Você terá 20 anos disso. Jamais leve esse trabalho pra casa com você. Ele já cansa demais. - Foi o que me disseram.
Eu mato pessoas. Ás vezes por dinheiro e ás vezes por nada.
Eu sei quem rouba. Eu sei quem mata. Eu sei quem bate em mulher. Eu sei quem gosta de meninas, quem gosta de meninos. Sei quem já extorquiu, quem já se prostituiu... Sei de quem vende droga. De quem revoga. É duro levantar pela manhã e continuar sabendo de tudo isso. De tudo isso não ter ficado no sono que eu perdi. É foda perder algumas noites pensando em como posso reverter a situação. Mas ai que esta, não da. Mesmo levantando todo dia com o mesmo propósito de mudar as coisas no mundo, acho que ele não vai. Por que mesmo havendo pessoas do bem, sempre há também, as pessoas do mal.
Eu levanto da minha cadeira, eu grito e brigo, bato e atiro. E mesmo assim as coisas não mudam. Lições expostas com sangue nem sempre são aprendidas.
Não é por você. Não estou fazendo isso por você. Me chamo... E eu vou parar essa máquina. Acredito em certos pontos e um deles, é que se há apenas uma pessoa disposta a lutar por um propósito, então este vale a pena.
Eu sou o cara bonzinho que prende os bandidos agora.
Então me diga...

Um comentário:

Priscila Mondschein disse...

Acho que você refletiu bem o que deve se passar pela cabeça de um policial (dos honestos, né? porque do jeito que está hoje em dia)... Deve ser horrível a sensação de impotência, quando vc luta contra o mundo, mas ele é infinitamente mais forte que você!!!!

Té mais...