2013/09/02

Dia 1586

E estavamos vivos. Muito mais do que qualquer outro dia.
Ela estava nervosa, eu segurei sua mão meio que querendo dizer 'Calma baby, eu sei o que estou fazendo'. Ela confiou em mim. Eu toquei ela.
Eu comecei a tirar sua roupa, peça por peça. Ela se arrepiava. Eu beijava seu ombro enquanto tirava sua blusa e abria seu sutiã por trás. Não quis segurar, quis deixar ele raspar em seus braços, ela esticar pra sentir meus dedos deslisarem sobre suas costas, seus braços, seus seios. Consegui ver mesmo com ela de costas pra mim, o bico enrijecido. Que vontade de passar meus labios neles. Deixa-los molhados. Mas me segurei. Afastei seus longos cabelos loiros, para beijar seu pescoço. Então imagina a cena, ela sentada na minha frente, com o colo nu, enquanto tiro minha camiseta para acompanha-la. Beijando bem devagar, sem pressa nenhuma seu pescoço e subindo ate perto de sua orelha. Cara, esse é o ponto mais gostoso. É quando ela reluta um pouco pra não me deixar ir adiante naquele beijo, porque ela sabe, eu sei... Mexe por dentro. Ela sentia queimar entre as pernas. No inconsciente dela, ela ja estava de pernas abertas pra mim... Mas não, ela estava sentadinha, bonitinha, comportada... Sentindo meu beijo no pescoço. E os pelinhos do braço se arrepiando? Era um sinal de que eu estava fazendo tudo certo. Ela apertava o lençol com uma mão e com a outra a minha mão. Ela gemia baixinho, meio escondido, como se quisesse que fosse pra dentro dela de volta. Não propagar nenhum barulho para não me desconcentrar. Mal sabia ela que, toda a atenção do mundo eu estava dando pra ela naquele momento. 
Comecei a passar a mão por seus ombros e deixar escorregar para as costas. Não tirava os labios dela. A mão percorria, a silhueta perfeita. Se existia alguma mulher mais linda que ela? É claro que não. Minha mão lia cada linha dela. Das costas a cintura, ela adorava quando eu segurava ela pela cintura. Abraçando-a por trás, sentindo sua barriga... Aquela pele macia, como eu gostava daquilo tudo. Acariciei a ponta de seus seios, duros... Sentia minhas digitais aperta-los e esfrega-los. Subindo minha mão até seu pescoço e seus lábios, ela lambe um de meus dedos... Logo, encosto-o de volta ao seu mamilo, ela sente meu dedo umido molha-la. Ele fica ainda mais enrijecido. O braço arrepia de novo, ja perdi as contas quantas vezes isso aconteceu. Ela mesma, abaixa um pouco sua calça mas para. Meio que querendo dizer pra mim "Eu devo? Ja posso ir pra um proximo passo?" Eu concordo, vamos mais fundo baby. Ajudo ela, ela termina de tirar sozinha. Cara, que corpo lindo tem essa mulher. Ela não faz o tipo de garota franzida sabe? Ela faz o tipo mulherão, ter as pernas bem grossas como eu gosto. Ela tem aquelas covinhas em cima do quadril também, coisa pra deixar qualquer homem louco. Tem os seios bem fartos, me acabo facil ali no meio. Tem labios carnudos e olhos bem vivos, isso é bem excitante. Tem as mãos delicadas e quando ela me toca, me da um tesão enorme. A mãozinha delicada dela me tocando no intimo, isso é tão sexy. 
Ela veste aquelas lingeries bonitas, que tem laços e rendinhas na lateral. É rosa clarinho, combina com a pele branquinha dela. Ela esta quase toda nua, só estamos eu, ela e aquela cama enorme que fica pequena pra gente. Eu quero acabar com ela, quase nem me aguento. Ela é tão linda e quer mais que eu. Mas eu tenho que me controlar. Quero que seja bom pra ela e que seja bonito também. Da pra ver que ela ja esta pegando fogo. 
Eu vou devagar pra perto dela, meu labio quase chega a encostar no dela mas não encosta. Eu me apoio em um dos meus braços e o outro eu coloco sobre o corpo dela. Apoio uma das minhas pernas em cima das pernas dela. Falo baixinho pra só ela me escutar. Digo que a amo e que quero ela só pra mim. Ela me abraça e beija meu pescoço, perto da orelha sabe? Se tem alguma coisa que me desarma completamente é quando ela faz isso. E ela diz baixinho no meu ouvido: "Eu sou só sua meu amor". E nessa hora até eu me arrepio. Acho que nunca amei tanto uma garota assim sabe? Eu ja curti outras garotas e tal, mas nunca fiquei tão amarrado quanto sou por essa pequena entende? Ela tem o que nenhuma outra tem. Tem aquele algo a mais que faz a gente querer sempre estar perto, querer sempre estar cuidando entende? Eu não sei explicar direito o que, mas sei que ela tem e nenhuma mais tem isso. E eu quero ficar com ela sabe? Pra sempre. Pra ouvir sempre no meu ouvido que ela é só minha.

Eu começo a beijar ela e o negócio esquenta mesmo. Ela me agarra com os braços, me quer mais perto. Eu fico em cima dela, quase nem da pra fugir e nem quero. Eu abraço ela também, a gente fica agarradinho se beijando. Eu sinto o corpo todo dela quente debaixo de mim. Ela sente o mesmo. Vai logo abrindo meu cinto, abaixando minhas calças me deixando que nem ela. Com uma peça só de roupa. A gente se aperta, se esfrega e se esquenta. Coisa de louco. Mas eu quero essa mulher. Quero entrar nela, fazer ela me sentir inteiro dentro dela. Fazer ela sentir tanto ao ponto de gemer de prazer. Quero fazer ela minha mesmo, fazer ela gozar comigo e pra mim. Quero dar prazer a essa garota como ela nunca sentiu. 
Chega uma hora que eu dou uma pausa, mas não paro tudo... Só pra ela entender o que eu quero. Então peço pra ela fechar os olhos e pensar em coisas que ela quer que eu faça que sem que ela me diga, eu vou fazer. Não faço a minima ideia dos pensamentos que vão passar pela cabeça dela agora. Na situação dela, eu mal raciocinaria. Mas eu sei de mim e eu vou fazer ela sentir prazer. Eu corto o papo e vou logo agindo. Desço devagarinho beijando o corpo dela inteiro. Do pescoço, passando pelo colo, seios, barriga e cintura. Cara, é tao lindo ver o corpo dela tão exposto assim. Eu seguro as pontas dos lados da perna dela, vou arrastando a calcinha pelas pernas dela. Ela já esta toda molhada e vendo isso me excita muito. Eu ja estou todo duro pra ela. 

Quando volto, vou beijando suas pernas bem devagar. Eu olho pra ela, e ela ja esta louca de tesão. Abro as pernas dela pra mim, ela nem reluta. Então a beijo, bem molhado. Eu chupo ela bem gostoso. Ela sente minha lingua molhada no meio dela, chupando do jeito que ela gosta. Ela se mexe com a minha boca no meio das pernas dela, deve ta louca de tesão. Começa a rebolar na minha boca e segurar minha cabeça, pra acompanhar ela no movimento. Ela fecha as pernas pra me sentir mais gostoso, fica tão molhada que sinto seu gosto na minha boca. É gostoso, é excitante e ela geme. Fala meu nome, parece que estou fazendo tudo certinho.

Ela me puxa com força, quer mais que aquilo. Ela tira a ultima peça que eu uso. Ela me ve assim, ereto na frente dela. Ela segura, ela beija, ela tambem me chupa. Me chupa com gosto, bem gostoso. Ela me masturba e olha pra mim, não tem cena mais sexy que aquilo. Ela bate pra mim bem certinho, não preciso instrui-la pra nada. Tenho que dizer, essa garota sabe como me agradar. 

Depois eu vou pra cima dela, seguro sua cintura e chego bem perto... Meus lábios encostam e desencostam dos dela... Nem chegam a ser um beijo. A gente se ofega... e acontece. Eu encosto nela, entro com a cabeça e ela me sente. Vejo que ela sente tanto quanto eu e vou entrando nela. Vou estocando nela até entrar totalmente. Entre gemidos e apertos ela me sente por dentro. Agora não há volta. Eu entro e saiu dela e ela gosta. Ela geme, ela não se controla. A gente entra em ritmo, o balançar dos quadris dela rebolando no meu pau. Eu soco dentro dela e ela agarra minhas costas. Enquanto ela me arranha eu respiro no pescoço dela. A gente faz literalmente uma dança enquanto transa. Eu seguro essa pequena como se fosse meu diamante mais precioso. Era isso que eu esperava. Ela me sente entrar dentro dela. Eu sinto ela molhada roçando em mim. E naquele momento a gente fazia parte um do outro. O meu corpo fazia uma promessa para o dela. E dentre gemidos e respirações ofegantes, o gozo. O corpo dela entra em erupção, todos seus sentidos são voltados aquilo. Ela goza, não se contém, goza muito. Seu corpo treme enquanto ainda estou dentro dela. Ela geme no meu ouvido e pede pra eu acompanhar ela e também não resisto, não consigo mais segurar. A gente fica intenso por momentos eternizados dentro daquele quarto, aquelas paredes jamais vão presenciar outro casal tão apaixonado fazendo amor. 
Porque com a minha pequena eu posso trepar, posso transar... Mas, acima de tudo eu faço amor com ela. Porque ela é minha pequena e só vou fazer isso com ela. Porque sou apaixonado por essa linda mulher que agora descansa deitada no meu peito, exausta e acabada. E eu também, mas ainda fico acordado porque adoro vê-la dormindo. E eu penso ali, que isso pra mim é felicidade. Ter ela ali comigo, perto, junto. Comigo. Pra sempre!

Nenhum comentário: