2011/08/26

Dia 639

Talvez somos Antítese, Anáfora de outros, será? Temos nossa Prosopopéia exacerbada. E adoro usar Apostrofe quando falo e escrevo. Literatura de mim é esboço. Talvez ser uma oração a ser disseminada ou dissecada. Talvez um pouco dissimulada.
Eufemismo ja virou rotina pra dizer a verdade, uma moda. Hipérbole pro mundo ficar maior do que parece ser. Um pouco de Polissindeto em Euclides da Cunha e Olavo Bilac. "E eu morrendo! E eu morrendo!"...
Reticências nos meus pontos de interrogação. Descobrindo Cacófatos por ai. Pois, o que seria de nós sem Camões?
Um espaço, uma vírgula, um ponto final... A letra que fala, a voz que se cala. Poligrafo pra descobrir a verdade, datilografia do futuro. Estou chegando pra dentro da sua cabeça. Por que eu te amo muito. Mesmo com esse Pleonasmo absoluto embutido.

Um comentário:

S.Oliveira disse...

Cacófatos...Nem lembrava que isso existia...Mas em meio a tanto, na língua portuguesa, há pessoas que "por cada" palavra expressam seu sentimentos, que entre "sol e chuva" estão a escrever fazendo nascer "explosões de emoção" no coração de sua amada! abçs