2012/02/10

Dia 844

Ah, eu fui um menino mau. Muito mau.
Sabe que, houve um tempo que dava pra ter esperança em certas coisas. Você passa muito tempo tentando agradar uma pessoa, fazendo coisas contra seus conceitos só para no fim... Dar tudo certo. O fato de você não acreditar em certas coisas não te transforma no Diabo. Mesmo em algumas vezes as pessoas fazendo essa a imagem de nós.
Ás vezes fazemos coisas ruins para outras pessoas... Mas já parou para pensar em como elas se deram bem depois? Talvez, elas viveram e aprenderam alguma coisa. Deveriam pelo menos. De todas as pessoas que conhecemos devemos tirar um proveito e aprender alguma lição. E ninguém ensina a mesma lição duas vezes. As lições que aprendi com as pessoas que conheci jamais vão se repetir e vice-versa.
Pare e pense, que se eu não tivesse feito coisas ruins antes, as pessoas não seriam felizes hoje. Por que eu poderia muito bem ter mentido e levado coisas adiante. Poderia muito bem carregar um livro pesado debaixo do braço e me fazer de ator, levantar as mãos e chorar. Eu poderia, mas sabe... Seria uma puta mentira. Era melhor acabar com tudo e não ter dor de consciência. Aquela história de deixar a borboleta voar.
Ás vezes, você fala verdades demais e isso mata as pessoas mas só para elas viverem novamente.
E jamais poderam dizer que não tentei. Por que tentei. E foi por anos. Não disperdiçados devo ressaltar. Por que eu aprendi alguma coisa. Aprendi muitas coisas. E todas elas são minhas e ninguém vai tirar isso de mim. Faz parte do que sou, as lições que aprendi. Mas e você? Que lição aprendeu? Você aprendeu alguma lição?
Eu sei que fui o demônio de algumas pessoas. Que elas amaram muito mas depois sentiram mais ódio do que podiam comportar. Que lágrimas sairam... Mas olha, olha só. Agora parece que nem dói mais, certo? Então, hoje que diferença faz?
E quem ficou sabendo das coisas que eu descobri? E quem sentiu as coisas que eu senti depois? Apenas eu e são muitos anos de dor.
Os anos passam, as pessoas ainda usam as lições que aprenderam tempos atrás mas esquecem quem as ensinou. É como na escola, colegial... Você aprende valiosas lições de vida que te molduram por todo seu caminho, mas chega la na frente e você esquece seu professor. Mal eu podia ensinar alguma coisa pra alguém, mas sempre ensinei o verdadeiro valor do que é realmente importante assim como o valor de perder.
Mas sabe, sempre tem um ou outro que vem apontar o dedo. E acho que as pessoas jamais vão aprender que nem sempre o que eu escrevo é o que acontece. Bom, isso é triste. E bem intrometido se meter em assuntos assim. Até quando as pessoas vão falar demais e perder a oportunidade de ficarem caladas?
Eu nunca vou acreditar em coisas que eu não sinto. Então nada de querer me jogar na cara alguma coisa desse tipo. Me deparei com o inferno e quase não sai de lá. E quando finalmente sai, acordei na cama de um hospital.
Ninguém conhece a minha história como eu, então ninguém tem o direito de inventar uma moral pra ela. Lembre-se: se eu não pedi a sua opinião, não fale.
Ah, eu fui um menino mau. Muito mau. E vou continuar sendo sabe por que? Por que adoro ver o circo pegar fogo. Adoro ser do contra e as coisas erradas tem um gosto especial. Um gosto que quem faz tudo certinho jamais vai sentir.

2 comentários:

Bruna Baez disse...

O fato de alguém se sentir mal, não justifica fazer mal a outra pessoa. Sinceridade e honestidade são bem mais bonitas do que palavras jogadas ao vento pra mostrar revolta ou quão "mau menino" você é. Sempre gostei dos seus textos, sempre gostei de você. Ninguém tem direito de julgar o que não sabe, mas eu falei do que eu sei e você também sabe disso. Ainda bem que sabe pelo menos isso também: "Pare e pense, que se eu não tivesse feito coisas ruins antes, as pessoas não seriam felizes hoje. Por que eu poderia muito bem ter mentido e levado coisas adiante. Poderia muito bem carregar um livro pesado debaixo do braço e me fazer de ator, levantar as mãos e chorar. Eu poderia, mas sabe... Seria uma puta mentira. Era melhor acabar com tudo e não ter dor de consciência. Aquela história de deixar a borboleta voar."
Só que tenho minha opinião e minha cabeça bem formadas, não mudo elas facilmente então continuo achando que certas atitudes foram infantis e coisas piores. Talvez você esteja certo, sobre ninguém saber do que você passou, mas passou porque não quis deixar quem queria cuidar de você, cuidar. No fundo isos é algo com o qual você sempre terá de conviver, com você mesmo. E não adianta tentar fugir nem se esconder em textos deprimentes ou revoltados. O dia que você mesmo se aceitar e decidir ser quem é, talvez as coisas melhorem. Talvez.
Agora não me diga também quando devo falar ou não, não julguei ninguém, só falei o que senti. E olha que por respeito, mais uma vez, eu deixei de falar várias vezes. Só mais uma coisa, se não quer comentários talvez seu blog não devesse ser público. Tenho o direito de comentar, assim como você teve o de reclamar do que falei.

Bya disse...

Então morre, DIABO ahahaha