2014/02/28

Dia 1773

Então me disse... Ele me disse...
Disse que me via sentado no banco do parque, com aquela barba serrada no rosto e um oculos de grau. Um livro qualquer do meu lado. Usando uma blusa xadrez. E as botas, sempre as botas. Vendo as crianças brincarem no balanço e naqueles brinquedos coloridos com barras. Dai uma princesa chega me chamando de 'papai" pedindo desesperadamente que eu amarre o sapato dela, como se aquilo fosse a coisa mais importante do mundo naquela hora. E observando a cena ao redor, decorando como se meus olhos fossem fotografando parcialmente até por completo a cena inteira. É uma calmaria sabe? É de se pensar em paz e sentir ela em cenas assim. E uma mulher chega por trás de mim, ela usa uma saia longa e uma blusa basica, deixa os cabelos soltos. Tem uma bolsa meio indie. Com livros e uma maquina fotografica dentro. Sim, essa era minha mulher. Minha parceira de livros. Minha parceira de flashs fotograficos. De acompanhar a ver as crianças no parque. Com certeza ela vinha de algum trabalho por ai. Eu ficava confortavel do lado dela e ficavamos bonitos juntos. Um casal fora da nossa época. Ela põe as mãos por cima dos meus ombros, me da um beijo. Sorri pra mim.
Nossa pequenina de olhos claros deve ter puxado ao avô, o meu pai. Tinha os cabelos da mãe, um pouco escuros e mechas claras. Um castanho clarinho. Não sei direito identificar a tonalidade da cor dos cabelos dela, mas era lindo. E os olhos dela, identicos aos da mãe. Não era nada facil cuidar dessas duas. Mas eu me sentia o homem mais feliz do mundo ali. 
Ás vezes eu olhava pra trás e ficava pensando nas coisas que aconteceram até os caminhos me levarem até onde eu estava. Não me lamentava por nada, mas também nao podia deixar de refletir em tudo. As pessoas que passaram, as que ficaram, os acontecimentos, os sentimentos, os lugares e as nossas fotografias. Queria ver tudo isso projetado fora da minha cabeça, como um filme. Deve ser engraçado. E todo mundo e todas as coisas.
Eu ja disse antes que, desde sempre eu pensava em brincar de casinha. Mulher, filhos, casa, rotina - quebrar a rotina - sonhar - realizar os sonhos - rir, se divertir, aproveitar e viver. 
A mão da minha mulher no meu rosto. Minha pequenina no meu colo. Um sorriso na minha vida.. Ta bom pra mim. 
O cara que disse tudo isso, esse cara... Bem, ele era eu mesmo.

Um comentário:

Show Room disse...

Que texto lindo!!! é uma prévisão muito criativo, da pra fazer um filme...