2016/02/29

Dia 2209

Eu sempre pensei que ficaria apaixonado pela garota que deitaria na grama no fim de tarde. Pra eu poder levantar a blusa dela e brincar de beijar a barriga como castigo por uma tiração de sarro com meu jeito embolado de falar. Sempre pensei que seria a mesma garota que eu pegaria e a levantaria no ombro levando ela para a cama enquanto ela se esperneia rindo no corredor. Ou até, a mesma que eu levantaria sobre meus braços no meio da sala para uma fotografia que mais para frente revelaríamos e colocaríamos em um quadro brega na mesinha do lado da cama dela. Eu nem ligaria para o short curto dela na foto, juro que não brigaria por isso.
Eu sempre pensei que poderíamos compartilhar o fone de ouvido com o CD mais romântico do Aerosmith até ela pegar no sono e quando acordar me fazer ouvir Jorge e Matheus. Cantando - ou tentando - as letras de refrões repetidos com seu microfone imaginário nas mãos. Pedindo palmas no fim e um beijo e depois fugindo, pra eu correr atrás dela pela casa tentando não tropeçar em nenhum bichinho de pelúcia da cachorra. Pensar até, que ficaria sem graça sabendo que ela guardou dinheiro por dois meses para comprar aquela camiseta do Quentin Tarantino que eu queria tanto. Para retribuir, levei ela naquele restaurante que fazem aquela cebola frita com pasta e pão preto. Afinal, era quase nosso "save the date".


Sempre pensei que ela brigaria comigo pelo horário que cheguei na casa dela. Aquele lance de apanhar pela saudade que falei outro dia. Ou então, porque esqueci do aniversário de 89 anos da avó dela e que ia ter festa no sábado. E até mesmo porque marquei churrasco no feriado e ela tinha programado piquenique no parque.
Todas essas coisas, sem dores que matassem amores. Elas acontecem por ai aos montes. O problema é que elas estão sendo feitas do modo errado, para não durar. A foto que deveria estar na mesinha de cabeceira dela, esta no mural do Facebook compartilhada do Instagram recebendo diversas curtidas. Inclusive dos caras e das garotas que ambos não gostam. As músicas, são trechos de indiretas nas legendas falando sobre estar sozinho ou ciumes. E os passeios por fim, se tornam entediantes e chatos porque tudo vira motivo de briga. 
Não há um manual de relacionamento perfeito e na realidade eu espero que você não tenha um relacionamento perfeito. Eu espero que você arranje alguém tão imperfeito quanto você, mas que ame os seus detalhes. Os mesmos detalhes que te diferem de todas as outras pessoas. A parte principal da sua história que faz você ser quem é e ela vai te amar por isso. 
Atualmente eu sou apaixonado por uma garota. Você leu certo, eu não estou apaixonado, eu sou mesmo. Definitivamente não fizemos nem metade do que acabei de falar, mas eu sei que algum dia vai ter nossa foto juntos em um telão tocando "Always" do Bon Jovi enquanto seguro sua mão. Porque ela é a garota que teve culhões para virar na minha cara e dizer que eu sou o cara mais errado do mundo, mas que me ama também. 
Você vai perceber que existem poucas coisas que você realmente ama. Quando chegar na minha idade vai perceber que você ama uma ou duas coisas. No meu caso acho que é só uma.


Um comentário:

Alice Paiva disse...

Como posso querer passar tanto tempo sem ler o que você escreve?