2010/01/27

Dia 232

O amor é aquela surpresa deliciosa (detesto surpresas, mas essa é diferente). Amor é aquele gostinho bom de todas as frutas do mundo. Amor é perder o chão, o teto, as paredes. Amor é apreciar cada gota de chuva que cai, e sentir em cada uma delas um gosto diferente, um gosto de felicidade completa. Amor é acordar e ver que tem gelatina na geladeira. Amor é ficar em claro uma noite inteira, falando sobre o que foi, o que é e o que será. Amor é segurar as lágrimas. Amor é soltar as lágrimas. Amor é ter noção de que o fim não está próximo. Pelo contrário, é ter noção de que ele está bem distante. Amor é sentir o mundo inteiro nas costas, e ao mesmo tempo não sentir peso nenhum. Amor é contar estrelas. Amor é aquele mais belo poema que Cecília não fez. Amor é a mais bela canção que Chico nunca fará. Amor é pensar bobeiras, sabendo que um dia serão verdade. Amor é te achar tão do meu tamanho, do meu número. Amor é perceber a cada dia como você foi feita pra mim. Amor é te querer tanto assim. O amor é nuvem. O amor é ventania. Amor é a luz que sai do teu sorriso. O amor é aquele brilho discreto, singelo, que poucos percebem. Amor é te sentir sempre aqui. Amor é tão simples. Tão inexplicável. Gasto linhas e linhas, e não consigo definir. Amor não se explica. Amor é pra sempre. Amor só se sente.

Um comentário:

Larissa Oliveira disse...

nooossa que profundo esse texto amei mesmo ta de parabéns .. que nunca falte inspiração pra voce e nem amoorr beeijos muita pazz :*