2010/01/31

Dia 236

Eu vou contar a verdade todos os dias, só por hoje.
As pessoas só veêm o que querem ver. Pegam o que agente fala e transformam em trinta coisas que não são o que falamos no começo. Aparecem detalhes e fatos novos na informação que falamos que nem sabíamos que tinha. Resumindo, as pessoas inventam e interpretam o que falamos da maneira delas e passam isso adiante. No final das contas quem fica com cara de troxa é agente.
Eu permito a todos serem como quiserem e a mim como devo ser. E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música. Por que fazemos certas coisas somos julgados assassinos loucos. Por que matamos os sonhos daqueles que não vão atrás para realizá-los. E por sermos loucos de termos a coragem de realizar os nossos. Cada um tem, exatamente, aquilo que merece. Mais um ciclo se fecha. E com isto, um recomeço. É aquilo que dizem 'tudo de novo...'
Tem fases na vida que prefiro não dizer nada sobre mim. Apenas desejo fazer e deixar a vida acontecer sem narrativa. E não importa quanta infelicidade você teve ou tem na sua vida. Depois da tempestade, flores voltam a surgir. Com um pé no chão e o outro na realidade eu vou passando e aprendendo que não posso fazer todas as coisas da vida, mas posso fazer da vida todas as coisas que preciso.
Valorizo as pequenas atitudes, assim como condeno pequenas mancadas. Sou rancoroso, guardo por anos uma coisa que me magoou de verdade. Sei perdoar. Passo por cima dos erros pra ficar junto das pessoas que eu gosto. Tenho meus limites. O primeiro deles é meu amor próprio. Perdôo uma vez, porque errar é humano. Perdôo duas porque o ser humano é estúpido às vezes. Mas não posso viver perdoando, porque isso seria incompetência minha. Às vezes me calo e deixo que os outros tirem suas próprias conclusões. É como se eu estivesse cansado de provar quem eu sou com explicações redundantes. Apenas aprendi a esperar.

4 comentários:

Caroline disse...

Cara, isso é verdade e aconteceu ontem mesmo cmg. Eu querendo terminar uma relação, falando mil coisas pro individuo e ele interpretando da mkaneira dele e me dando loucas respostas prontas... de tal forma que eu já nem sabia mais o que tava falando... aff

CaroL Rios disse...

"Com um pé no chão e o outro na realidade eu vou passando e aprendendo que não posso fazer todas as coisas da vida, mas posso fazer da vida todas as coisas que preciso."

Essa frase me define, cooom certeza.

Cara, que texto bonito! eu até fui pesquisar no google pra ver o autor, mas só apareceu o endereço do teu post...então foi tu que escreveu mesmo?! se foi, parabéééns! mto bom mesmo, mais uma vez, traduzindo mta coisa que eu penso :D

Érico disse...

O diferente sempre é interessante, mais até q ponto? é meu amigo, a cada dia uma nova aventura, um novo recomeço e assim caminha a humanidade!!

Anônimo disse...

O texto está belo, exceto um erro "grave". O certo não é agente e sim a gente (separado), ok?!